sexta-feira, 8 de junho de 2012


CURSO DE TEORIA DA HARMONIA
Nível Básico


Data: 14, 15 e 21 de Julho 2012, 10h30/13h00, 15h00/19h00
Local: Clube Penelense, Penela
Formador: David Cruz

Requisitos:
- faixas etárias: para maiores de 12
- não é necessário qualquer conhecimento prévio de teoria musical para frequentar o curso
- quem já tocar algum instrumento é aconselhável trazer, mas não obrigatório

Número máximo de formandos:
- a lotação do curso será de 15 formandos, pelo que aconselhamos efectuar a inscrição atempadamente

Objectivos da formação:
O objectivo principal desta acção de formação reside em dotar os formandos de noções musicais básicas no que toca à formação e utilização de acordes, daí se ter optado pela designação “Teoria da Harmonia”. Porém, para atingir este objectivo, é fulcral que os formandos tenham sólidos conhecimentos de base do Sistema Musical Ocidental, o designado Sistema Tonal, bem como da terminologia musical (escala, grau, nota, tom, diatónico, cromático, entre outros, são termos imprescindíveis para se compreender o sistema musical, são por assim dizer uma parte essencial do alfabeto do músico). Deste modo, a 1ª parte da formação incidirá na exposição clara e organizada destes conteúdos, sempre com muitos exercícios em que o formando terá ocasião de testar os conhecimentos adquiridos.

Conteúdos:
1ª parte – Alfabeto do músico
- Elementos da música e definição de termos importantes
- Sistema Tonal
- Escala cromática
- Escalas diatónicas
- Intervalos


2ª parte – Formação de Acordes
- Harmonia terciária (Tríades e tétrades)
- Cifras
- Tons essenciais e facultativos
- Noções básicas de teoria da harmonia aplicada ao instrumento

3ª parte – Cadências e harmonização
- Acordes da escala maior
- Harmonização
- Exemplos de cadências diatónicas mais comuns
- Exemplos de Cadências não diatónicas
- Exemplos básicos de reharmonização

4ª parte – Criação de exercício para ser apresentado ao público
A formação contemplará ainda a criação de um pequeno exercício musical, mostrado ao público no último dia do curso, pelas 21h30, no Clube Penelense.

Inscrições e informações:
- por email, com envio do nome para epo.producao@gmail.com
- por telefone: 964 271 279 ou 239 561376
- Sendo que a lotação é de 15 formandos, recomendamos efectuar a inscrição o quanto antes

Preço:
- 40 € (se for pago até 12 de Julho – depósito na conta da Encerrado para Obras, com envio de comprovativo (após efectuar pré-incrição através de envio do nome para epo.producao@gmail.com receberá na resposta indicação do N.I.B. onde deverá efectuar o pagamento)
- 50 € (se for pago no local, no 1ª dia de formação)




Notas biográficas do Formador:
David Cruz - Actor, Músico (compositor e intérprete), director artístico da companhia de Teatro e Música Encerrado para Obras.
David Cruz nasceu em França, país onde viveu até aos 14 anos. No ano seguinte, já a viver em Portugal, começou a tocar guitarra. Os primeiros acordes que arranhou tanto deram para tocar Beatles como para compor algumas canções. O bichinho da composição despontou assim que teve um primeiro contacto com a música. Até ao 12ª ano, viveu em Tomar, onde teve a sorte de criar uma grande amizade com Nuno Gomes, não o futebolista, mas sim o pianista que aos 16 anos anos já acabara o 8 º ano de conservatório. Amigo inseparável nos últimos anos do liceu, Nuno ensinou ao David os primeiros rudimentos da teoria e prática musical. O primeiro café-concerto aconteceu no último ano do Liceu, em Linhaceira, no café do primo Leonel.
Chegado a Coimbra em 1990, para onde veio estudar Francês/Inglês, licenciatura que viria a terminar 10 anos mais tarde, aprofundou o estudo da música, quase sempre de forma autodidacta. Começou a tocar em bares de forma mais regular. No ano seguinte, começou a dar aulas de guitarra a alguns amigos do CITAC, grupo de Teatro onde participou durante 3 anos como actor e músico, e onde compôs muitos temas musicais para Teatro, iniciando desta forma uma actividade intensa nesta área, actividade que se prolonga até hoje. Os  amigos do Citac trouxeram outros amigos e as aulas de guitarra começaram a ocupar muito tempo na agenda. Esta actividade teve uma importância indelével na formação do músico, pois para ir de encontro ao apetite dos alunos, e por outro para satisfazer o seu próprio apetite de diversidade musical,  teve de aprofundar os seus conhecimentos teóricos e ao mesmo tempo praticar muitos estilos musicais distintos, passando pela música brasileira (bossa-nova, forró), pelo rock, pelo fado, etc.. Em 1993, com os pais com dificuldades económicas e uma bolsa que não chegava nem para metade das despesas, David começou a viver essencialmente da sua actividade como músico. Envolveu-se com músicos e bandas de rock, tendo o seu próprio projecto, Joane e o Amendoim Saltitante, com o poeta e vocalista Carlos Ramos, iniciado em 1993 e cujo último concerto remonta a 2005, na Queima das Fitas em Coimbra. Em 1994, cria a sua primeira banda sonora para Teatro enquanto profissional, com a companhia de Teatro Efémero, de Aveiro.  Desde então compôs cerca de 300 canções para peças de Teatro, tendo colaborado com várias estruturas profissionais do nosso país, com especial destaque para a Encerrado para Obras, companhia que fundou em 1995 com Nuno Coelho e José Geraldo e onde exerce actividade permanente desde então. David é actor, dramaturgo, director e produtor da Encerrado para Obras e músico. Toca guitarra
e diversos outros instrumentos de cordas dedilhadas. Dá umas arranhadelas em muitos outros instrumentos, alguns dos quais pouco convencionais, como os copos de cristal, o serrote musical, a sanfona de braço. Mas o que ele gosta mais de fazer é provavelmente o que ele faz melhor: compor e interpretar canções.

Café-concerto com Urtiga e Comichão + jam-session

A seguir ao exercício terá lugar no mesmo local um café-concerto com duas bandas que dão agora os seus primeiros passos: Urtiga (projecto de músicas do mundo) e Comichão (projecto de música de dança do nordeste brasileiro, vulgo Forró)

Sem comentários:

Enviar um comentário