Mensagens

Navegar é Preciso

Imagem
  Artistrada, Itália, 2019, Foto de Maria Pezzanesi Em reconstrução permanente Entre 2018 e 2019 a companhia recuperou a força criadora que a carateriza desde o início, tendo criado um total de 6 novas produções nas áreas do Teatro e da Música, sanando algumas das feridas deixadas pela crise económica e financeira de 2010. O futuro adivinhava-se atarefado do ponto de vista da produção teatral e musical, havia boas parcerias e boas perspetivas relativamente à digressão de espetáculos dentro e fora de Portugal. Em 2018, a companhia estava a instalar-se em Leiria, o terceiro concelho onde assentava arraiais após a sua criação em 1995. Apesar da ótima receção pelos cidadãos, pelo poder local e pela comunidade artística, a pandemia de COVID-19 empurrou-nos noutra direção, levando-nos para um novo concelho no final de 2020. A gestão da pandemia obrigou ao cancelamento de espetáculos, o que afetou drasticamente as comemorações do nosso 25.º aniversário e a digressão de 2020, mas mantivemo

Dança do ter e não ter

Imagem
A viagem quer-se longa e, para poder apreciar cada momento, é conveniente dar pequenos passos sem ter medo de arriscar, exatamente como se se caminhasse na corda bamba, passos pequenos e firmes, com os sapatos adequados, roupa justa, muita leveza, concentração e um grande sorriso no rosto. Na eventualidade de uma queda, algo raro, entender que o corpo, a mente e o espírito saberão defender-se da melhor maneira e aprenderão muito com isso. Folia, 2002 A história da Encerrado Para Obras evoca sempre uma viagem, uma viagem longa por uma corda bamba imaginária que é atravessada diariamente, por tantas pessoas quantas estão disponíveis para dedicar a sua vida à arte. Pessoas criativas que não têm medo do passado, do presente ou do futuro, com uma visão muito clara do que pretendem: demonstrar, através do seu trabalho que é possível continuar a sonhar acordado, que é possível brincar, aprender coisas novas, encontrar novas soluções para problemas antigos, através do cruzamento de diversas

O ano em que estivémos realmente ENCERRADOS

Imagem
Este ano pode dizer-se que passámos seis meses literalmente encerrados para obras, porém, continuamos de portas abertas para receber as influências do novo território e das pessoas que por cá nos acolheram. Temos imensas ideias que gostaríamos de partilhar com pequenos e graúdos, ideias com músicas, imagens, atividades, danças e invenções, para apresentar na rua, em salas de espetáculos ou em qualquer espaço no qual sejam desejadas. excerto do espetáculo Trov'Antiga na Igreja de Santa Maria, Castelo de Leiria, Julho 2021 Superámos mais uma prova dura que veio revelar de que é que somos feitos e qual a nossa relação de proximidade com as artes do espetáculo e com as pessoas que procuram renovar-se através delas. Mudámos novamente de casa e de comunidade, fizemos obras de reabilitação pelas nossas próprias mãos, gravámos as bases do CD A Química do Amor, continuámos a apresentar os espetáculos em carteira e ainda tivemos um tempinho para rabiscar as novas produções que gostaríamos

A arte de fazer castelos na areia

Imagem
A nossa família, os nossos amigos, os nossos vizinhos, o nosso público, e a maior parte dos habitantes da Terra estão a viver tempos muito desafiantes aos quais só sobreviverão se encontrarem a sua força interior e se guiarem em conjunto rumo a um futuro mais próspero. O nosso contributo, enquanto artistas, rumo a esse futuro continua a ser levar teatro, música e alegria ao máximo número de pessoas possível. É uma responsabilidade enorme da qual nunca iremos prescindir, pois sabemos o quão frágil é a vida humana quando vivida em desarmonia por um período indeterminado de tempo. Vídeo promocional do espetáculo Boldie & Cloide Neste momento específico da história vemos que reina a confusão e a desinformação, levando-nos a reagir apenas, a simplesmente sobreviver, o que acaba por normalizar estados perigosamente contagiantes de medo, desânimo e dormência, que são inimigos da vida, da tão almejada prosperidade e da saúde, claro. Muitas pessoas encontram-se sem tempo para cuidar das n