segunda-feira, 24 de abril de 2017

A Bananeira de Tia Miséria
40ª produção da Encerrado para Obras
Estreia a 20 de Maio de 2017 em Penela

  
Sinopse

Tia Miséria vive só numa quinta isolada, no Baixo Alentejo, mas não vive completamente só, porque vive com a sua bananeira. Uma bananeira no Alentejo não dá bananas, mas a de Tia Miséria sim, porque é uma bananeira mágica.
Dois atores músicos reinventam o conto tradicional, a Figueira de Tia Miséria.
Um espetáculo que cruza os temas da vida e morte, da juventude e velhice, da riqueza e pobreza.

Duração: 50min
Público-alvo: todas as faixas etárias a partir dos 6 anos
Espetáculo adaptável a vários tipos de espaços

Ficha técnica e artística

Dramaturgia, encenação e interpretação: Cláudia Santos e David Cruz
Canções: David Cruz (à exceção de Banana Uê, Cola-Descola, versões de dois temas de Duo Ouro Negro)
Cartaz e imagem gráfica: ClauS
Cenografia e figurinos: Cláudia Santos e David Cruz
Bananeira (criação): Liliana Silva Gomes
Catana e cajado esculpidos por: Vítor Marques
Produção executiva e colocação de espetáculos: Cláudia Santos e David Cruz
Parceria: Município de Penela

© Encerrado Para Obras 2017

 
Duo Choco Latas
39ª produção da Encerrado para Obras
Estreia a 10 de Março de 2017 no Festival Internacional do Chocolate, em Óbidos

Os artistas David Cruz e Cláudia Santos formam o Duo Choco Latas. Com um carrinho cheio de percussões composto essencialmente por latas e outros objetos reciclados, estes multi-instrumentistas interpretam num tom essencialmente acústico um conjunto de canções cómicas cujo tema é o Chocolate.



quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017


Rouxinóis do Presépio
38ª produção da Encerrado para Obras
Estreia a 1 de Dezembro de 2016 no Castelo de Penela



Os multi-instrumentistas Cláudia Santos e David Cruz dão asas às suas belas vozes em versões inspiradas de canções de Natal originárias de Europa e Américas.






Canções do Ouro Azul

37ª produção da Encerrado para Obras

Dramaturgia, encenação, interpretação: David Cruz

Estreia a 29 de Julho de 2016 na Pampilhosa da Serra



Sinopse

Canções do Ouro Azul é um solo do ator/músico David Cruz.

Neste espetáculo que estabelece uma fusão entre a arte do contador de histórias e a do músico, o artista veste a pele de uma gotinha d´Água, a Pinguinha dos Milagres.

A Pinguinha dos Milagres conta-nos as suas aventuras pelos rios, mares, lagoas, fontes e nuvens do mundo inteiro. Esta história é pontuada por um conjunto de dez canções dedicadas ao tema da Água, versões de clássicos da música tradicional portuguesa, e da música popular de vários cantos do mundo, (Brasil, França e Estados-Unidos), e ainda dois temas originais.

O artista apresenta-se no formato de Homem-Orquestra, em que toca em simultâneo mais de uma dezena de instrumentos musicais.

Para além das canções tocadas em formato de Homem-Orquestra, o espetáculo inclui ainda uma outra surpresa, um conjunto de instrumentos que tocam com água, nomeadamente o carrilhão de copos de cristal e o carrilhão de garrafas entre outros.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016





Da Cruz One Man Band
36ª produção da Encerrado para Obras
Estreia no Fundão a 7 de Agosto 2015




1 homem, 17 instrumentos, um espetáculo único,
sucesso garantido em todos os eventos

video

O projeto "Da Cruz One Man Band" é a 36ª produção da Encerrado para Obras, companhia profissional itinerante de Teatro e Música, estrutura com 20 anos de existência.

Este projeto, que estreou a 7 de Agosto no Fundão, já foi entretanto apresentado com enorme sucesso em mais de duas dezenas de localidades de Norte a Sul do País.

"Da Cruz" é o pseudónimo de David Cruz, ator, músico, profissional das Artes do Espetáculo desde 1991, membro fundador e atual diretor da Encerrado para Obras.

Único Homem-orquestra tradicional no nosso país, este artista multifacetado apresenta um espetáculo surpreendente em que toca em simultâneo e em andamento um total de 17 instrumentos.

Às costas traz tambores e percussões diversas que toca com pés, cotovelos e pulsos, aos ombros um suporte com diversos instrumentos de sopro (harmónicas, kazoo, flautas) e uma guitarra que toca com mestria. Por fim a sua voz versátil, poderosa, inspirada e muito afinada não deixa ninguém indiferente.

O repertório, extremamente diversificado, (tradicional, rock, jazz, swing, blues, bossa, forró, etc.) é quase inesgotável e está sempre em constante evolução. O artista (poliglota, licenciado em Francês/Inglês, fala fluentemente 5 línguas) está muito habituado a cantar em idiomas distintos - para além das línguas latinas e inglês, já interpretou canções em dialetos africanos, ucraniano, latim, entre outros